own..

own..
Say a Little Prayer for You by Aretha Franklin on Grooveshark

segunda-feira, 26 de julho de 2010

O vôo da Marbela

Você se conhece bem? Mas afinal, o que significa se conhecer bem? Ontem em uma conversa informal, afirmei que me comportava diferente no ambiente de trabalho. Como assim? - questionaram os amigões que pareciam saber exatamente de que tipo de diferença eu me referia. Quer dizer que no trabalho você é mais simpática e chega a ser gentil? - eu acenei positivamente com a cabeça como quem se orgulha do autocontrole e ignora o exagero. Ontem foi domingo, almoçamos um risoto delicioso preparado por um chef que fica muito bem de rosa, e com um vinho para acompanhar. Isso quer dizer que estava descansada, num clima gostoso de comédia romântica comigo mesma e suficientemente bem humorada para dizer que noutros dias também poderia ser assim. Como quando acabamos de almoçar, e com a barriga cheia prometemos começar um regime amanhã, sem falta. É só a fome voltar que o desejo desaparece...

Especialmente neste fim de semana, estava só em casa – senti muitas saudades de todos, mas adorei o barulho do silêncio – e dormi bastante, vi vários filmes, curti meu tempo, a minha pressa. Isso causou confusão na cabeça das pessoas que julgaram estranha essa quietude. Eu preciso disso para viver. É como um pássaro que se acostumou com a vida na gaiola. Adora esse estilo de vida, mas precisa de uma fugidinha para sentir o vento na cara, os perigos e as dificuldades da selva. Poderia ser um passeio despretensioso da Mabela, a sobrevivente calopsita da Cláudia. Sai para passear, mas encontra, ao voltar à morada, um olhar cortante de sua dona que desconfiada, não entende o que Mabela quer da vida, pois sempre há sementes de girassol (de moranga só na Alemanha e na casa da Kizzy) e água fresca à sua disposição em casa. Muitas vezes não há interpretação profunda no passeio de Mabela. O vôo pode ter sido para esquecer o companheiro que se foi, para rever os amigos dos ares distantes ou simplesmente para voltar mais satisfeita ao lar e provar da água fresca que ela tem certeza, estará sempre ali.


Não se preocupem! O vôo da Mabela no meu caso, é o mesmo que dormir até mais tarde, tomar banho no escuro ou ver vários filmes com a Meg Ryan sem nenhum tipo de intervenção. E “a vida na gaiola” foi só um exagero literário...

Hoje voltei à semente de girassol e desliguei o DVD. E vim dizer que não sei de onde tirei a ideia de que poderia ser uma pessoa diferente só porque coloquei traje social, o que uso nos dias de trabalho. Não há como acordar cedo numa segunda-feira, vencer o trânsito característico do centro comercial de uma cidade grande, enfrentar a fila do elevador e ainda ser mais simpática que num domingo à tarde. Definitivamente meus caros, descobri que não sei nada de mim nesta manhã! Mas assim que puder, pego mais uma carona com a Mabela. E voltarei para casa feliz, mais uma vez...

Obrigada a todos pela companhia. Patty, nos vemos em Miami!

2 comentários:

Laura de Oliveira disse...

Dri,

Que profundo...

Essa sensação que você descreve, me pareceu tão familiar, mas eu fico com ela no silêncio, sabe, como? Sem falar...

Então, acho que esse texto de hoje, foi uma sacudida...

BjO

Patty disse...

Nossa.. Me emocionei..

Minha semana de férias está assim..

Até Miami!! Beijo..