own..

own..
Say a Little Prayer for You by Aretha Franklin on Grooveshark

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Jogos da Vida Real

Oi gente! Desculpe a ausência; obrigada pela declaração declarada de amor; Laura pela saudade (que delicado...) e blá, blá, blá. E agora, momento reflexão...
Lembro-me de um brinquedo, um jogo, que amava e odiava, mas brincava muito na segunda infância. Torremoto. Dia desses inclusive vi uma versão xing ling desse jogo e me contive para não comprá-lo e dar à minha criança em seu dia. O lance do momento é um carrinho que muda de cor quando colocado em diferentes temperaturas. Venceu o brinquedo tecnológico. Afinal, nunca fui tão gente grande quanto nos dias da atualidade... Não estou em condições de escolher um presente diferente daquele que me foi encomendado.

Mas depois fiquei pensando nas similaridades do passado e do presente. Eu odiava o Torremoto porque o jogo é tenso. Sentia aquele pânico 'de montanha russa' o tempo todo e pra mim tinha pouco jeito de diversão. Em contrapartida, estimulava o pensamento estratégico, a calma, a arte da paciência... Embora eu não soubesse disso naquele tempo, eu curtia.

E eu aprendia a construir, a encaixar as peças no lugar certo e assim evitar que a torre desabasse. Alguma similaridade com a vida? Escolher as coisas certas, nas horas certas evitando que a sua torre pessoal caia sobre a sua cabeça.

A vantagem do jogo: sempre era possível começar de novo. Burrice de quem se concentrava sempre nas mesmas peças. Um novo jogo possibilitava um milhão de novos caminhos... Mas a tensão era sempre a mesma. Nunca sabíamos se a estratégia da vez seria melhor que a errada da versão anterior.

Alguma similaridade com a vida?

Não podemos fazer um novo começo, mas é sempre possível experimentarmos construir um novo fim (baseado nas palavras de Chico).

Um beijo!

2 comentários:

Laura de Oliveira disse...

E o Livro? É pra quando?

Perfeito, Dri! Tava morrendo de sentir falta: some mais não!

BjO

Xaxá disse...

O gostoso desse jogo, é aprender a curtir a emoção de cada peça colocada. E não ter a vergonha de começar novamente.
Vai parar de brincar ???
Apelou, perdeu.Rs rs rs
Beijos.