own..

own..
Say a Little Prayer for You by Aretha Franklin on Grooveshark

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Que delícia o clima europeu! Esta noite os ventos uivantes tomaram conta da zona sul, que me rendeu uma péssima noite de sono. Em algum momento a luz não segurou a onda, que me fez compensar a noite e dormir como um anjo na manhã fria e tentadora da segunda-feira pós aniversário do Dipa, já que o alarme não tocou.

Por falar nele, é o rostinho angelical congelado daquela figura assim que adentrou ao salão de festas, que estamparei por muito tempo em minha mente. Festa surpresa é uma delícia quando dá certo, ou seja, quando o pato cai. E com o Dipa foi bem assim, ainda bem. Um viva ao empenho de todos desde a elaboração até a ressaca! Brilhou a Núbia com a ideia, organização de artes e artefatos. E à Patty, como sempre ao lado direito. Gonzaga perdeu já que não ganhou nossa companhia. Perdeu também minha mãe a oportunidade de guardar segredos... E ganhei eu a notícia de que Seu Manoel, o porteiro mais antigo da minha vida, subiu no telhado e vai abrir agora outras portas.

Vejam bem como a vida é. Ao passo que celebrávamos o Dipa, Seu Manoel ia dessa pruma melhor e a Stefânia toda, toda segurava ansiosa a pequena Manu já doidinha pra vir ao mundo. Mal sabe ela que vai dar de cara com o Nós... Imagina! Torcemos todos pelo sucesso final da empreitada, que promete ser nessa segunda, e que venha ao mundo linda, forte e com sangue quente português, ora pois!

E é por essa mágica divina que ainda nos apaixonamos. Pelas pessoas, pelos lançamentos da Nestlé, pelos aromas, pelas músicas, pelas gírias... Quando o Rodrigo estava caindo no meu conceito, ficando fora da onda, falando coisas como 'maria vais com as outras', ele aparece com o 'tô na pista' e se recoloca no mundo young fashionist. E volta ao mais alto pico da onda. Coisas do Dipa que alimentam nossa amizade com graça, com muita gracinha.

E vamos combinar que a vida sem amor e sem piada não tem a menor graça. E, é engraçado, mas a graça não vem da piada, vem do amor. Tente contar a última do Joãozinho a um mal amado, e chore com ele.

Um brinde a mim mesma que, mesmo sem planejar, me apaixonei de novo. Desejo que o sentimento se alastre...

Beijo. E com batom.

Um comentário:

Laura de Oliveira disse...

Ê coisa linda de ler!!

Adoro esses festerês e adorei muito mesmo esse final do post, Dri!

Todo dia a mesma coisa, pra você, viu? MAIS AMOR!!!

BjO