own..

own..
Say a Little Prayer for You by Aretha Franklin on Grooveshark

segunda-feira, 17 de maio de 2010

À ordem dos fatores


Meu coração está on. E minha cabeça também. Penso um milhão de coisas ao mesmo tempo. Claro que o corpo não acompanha, mas a sensação de hiperativa me agrada. Não sei por que vem nem por que vai, sem ao menos se despedir. Se isso tudo for mesmo culpa dos hormônios, vou te contar o geniozinho que criou os tais, viu... Se o cabelo caiu, culpa do hormônio; se ele cresce demais, são eles também; euforia, depressão, TPM, lágrimas... Trabalhão que tem o danadinho. O médico disse que estão faltando vitaminas no meu organismo e dá-lhe pílulas, e hormônios. Ai que loucura!

A Saideira teve ótima, disse quem esteve presente no evento e na sopa de batatinhas. Esse ano saí da Saideira. Aliás, corri do jiló. A ideia de divulgar as qualidades do fruto não me pegou.

Dipa meu amigo quer ser o príncipe do óleo. Digo, ele quer participar da parte mais amena que envolve a premiação dos bons. Catito, o Rei, com toda sua maturidade e a eterna mania de acreditar que é um cara comum, leva tudo numa boa, mas já considera a hipótese de usar o lenço, chapéu Panamá e charuto. Ok, explico melhor. Na próxima semana o melhor DJ do mundo vai balançar as pick-ups acima do Equador. E quando o nosso amigo quase famoso descobriu o esquema VIP em que o Rei curtirá nas terras do tio Sam, não mediu a pompa na história. Agora eu vou ter que decorar a estante da sala com a foto do meu marido vestido de Rodrigo Mônaco de Paula. Égua!

E na sequência imaginem a cena. Sítio do Zonzon, quem não foi à Saideira:

- Dri, pega o meu telefone, por favor, preciso ligar pra sua tia.
- O meu está aqui e tenho o número dela, pode ser?
- Mas não sei mexer nesse telefone...
- Eu ligo prá você; peraí; pronto, é só falar alô.
- Alô, alô! Alôô! Celinha, pode falar mais alto? Hein? Ai meu Deus, ela fala muito baixinho! Hein? Não estou te ouvindo Celinhaaaaaa!
- An-han... é... mãe...?
- Esse telefone é doido, a voz dela está muito baixa!
- Mãe...?
- Eu disse que preferia usar o meu telefone. Com teclados, coerência...
- Manhê...?
- Que foi Adriana? Não tá vendo que estou tentando ouvir sua tia? Que foi?
- Você está com o telefone de cabeça para baixo...
- Han? Ah! Celinha, por que está gritando tanto? Acha que sou surda?

E seguimos sonhando...
Beijos!

4 comentários:

Kizzy disse...

Ai que saudade!!! Não tenho tido tempo de comentar... Mas pra ler pelo menos sempre arrumo... Não compreendi muito bem todas essas histórias, mas é óbvio que achei divertido...
Bjo,
Ki.

Laura de Oliveira disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Dri,

Lembro muito da sua mãe, daquela época de colégio, quando você contava as coisas engraçadas dela... e também dela falando no carro, bem estilosa, "Dri, pega doiSH reaiSH na minha bolsa"!!! Carioquêsh mineiro mais legal do mundo kkkkkkk

Acho que, em matéria de lerdeza, tô no caminho certo.

BjO pra você e pra Vera e pra Renata e pro Beto (lembrei certo?) e pro Marcelinho também!!!!! Pro seu marido, um abraço kkkk :D

Parabéns pela família linda que, no final das contas, é toda de coração ;)

maria carmen disse...

Como é bom ser dessa familia gentee!!!
Adoro tudo q escreve,bjs da tia Kak

disse...

AH VÓ INHA DO CELO...
VOCÊ NOS DIVERTE!!!
BEIJOS.