own..

own..
Say a Little Prayer for You by Aretha Franklin on Grooveshark

segunda-feira, 29 de março de 2010

Life / Oh Life / Oôôh Life...

Bom dia! Apagou as luzes no horário combinado em prol do Planeta? Ou você não acredita nas manifestações mundiais? Há quem diga que o homem destrói a natureza, outros acreditam que o fenômeno é natural e cíclico. O movimento esquenta-esfria-esquenta vem ocorrendo na Terra há milhares de anos e não foi noticiado antes, pois não havia televisão, internet... O globo não era globalizado. Who knows? De qualquer forma, que mal tem ajudar alguém? Se o homem não contribui para o aquecimento global, soltar CO2 à revelia ou jogar lixo nos rios é uma falta de educação antes de tudo. Então, caso as mudanças não sejam cíclicas, seja um cidadão mais gentil para com o seu semelhante. That´s it. No final das contas, com educação ganhamos sempre.

Este é um termo vasto. E cíclico. Sim, pois damos aos outros o que recebemos. E só recebemos, se damos. Quer dizer, educação vem mesmo do berço. Para os sensíveis que não tiveram uma orientação britânica, há como desenvolver ao longo da vida desde que se priorize assim. E quem não teve educação de berço, ao fazê-lo por si, passa a ter conflitos em casa. Pois mais uma vez, cumpre-se o movimento circular das relações e dos tratamentos. Relacionamentos são mesmo olímpicos. Uma vez que optamos por tê-los, a obrigação de nutri-los é constante, é crescente. E aqui eu falo de qualquer tipo de troca de "ois", seja comercial, entre amigos, marido e mulher, com filhos, etc. Ficar feliz com a felicidade do outro é a chave do sucesso. Mas que estabilidade resiste a uma TPM? Aos devaneios econômicos que cortam os luxos e atrasam aluguéis? Aos fracassos da vida adulta?

Comecei a ler um livro no sábado à noite (com vinte, eu ia pra Savassi nos sábados à noite, anyway...) e, anti-social que fico, terminei-o ontem. Deixei de ver a saída da Lia com 51% (êba, trá, lá, lá!) para chegar com gana à última página de "A Cabana". Best-seller, muita gente já leu, figurinha repetida ao redor do mundo. Mas quem sou, que não uma mera cidadã que tem fome dos assuntos comuns? Não pertenço a nenhuma tribo (além a que dá título a esse blog) e leio tudo o que me parece interessante e sem bocejos. Não sei se a história de Mack é verdadeira. Ele diz que sim, e o próprio autor nos deixa duvidar relaxado. Mas a experiência dele entrou fundo na minha alma, sofri com ele, duvidei as mesmas questões, eram minhas as suas perguntas e não dava para esperar a semana inteira para chegar ao fim. Não é uma narrativa machadiana, mas Machado como aquele, só mesmo ele, vamos combinar né...

Gente, leia mais! Eu adoro ler e sempre o faço bem na frente do Marcelo para incentivá-lo ao mesmo hábito. Louco para juntar as letras, ele está. Mas essa é uma reação normal de crianças em idade de pré alfabetização. Quero mais para ele, quero - como todos os pais e mães - que ele seja um trilhão de vezes melhor que eu. Em tudo. Começou bem...

E apesar do doce convite da Lu para curtir Lagoa Santa, não quis brincar nesse domingo. Obrigada também Odon! Perdi a corrida e mergulhei na deprê dominical. Amigão deve ter levado a bola pro pátio dada à alegria do Cadu que quis compartilhar comigo. E deixei também de inaugurar a mesa do casal que se lembrou de me parabenizar antes mesmo dos próprios envolvidos. Não se iludam, mulheres não esquecem datas... Aliás, no sábado de 20:30 às 21:30h, hora exata do apagão mundial, com certeza a casa dos Swaby (nunca sei se escreve assim) não apagou. Luz própria não tem botão ON/OFF...
 
E las gracias a toda a trupe de Itacaré pela singela lembrança. Mas até paraísos tem ouriços...

That´s all folks!
Bejos.

2 comentários:

Kizzy disse...

Obrigada amiga... Mais uma vez você me emociona e me algra...

Laura de Oliveira disse...

Dri,

Desculpa a ausência, mas estamos reformulando a vida... muito vampiro emocional aqui por perto...

Vou fechar o blog por essa semana e ele será reaberto em novo endereço, ok?

BjOOO

:D