own..

own..
Say a Little Prayer for You by Aretha Franklin on Grooveshark

terça-feira, 22 de dezembro de 2009




Finalzinho do segundo tempo... Desejo a todos uma boa penúltima semana do ano simpático que termina em 9!

Nem eu, nem Raul somos astrólogos. Até ensaiei numerologia, mas não virei uma Mãe Dinah. Simplesmente tenho “um caso” com o número 9. E assim me convenci de que o Hudson podia entrar no meu rol de melhores amigos...

Desde o início desse ano, com os pezinhos na areia, pressenti grandes mudanças para minha vida advindas do meu número mais significante. E assim foi. Eu passei por mais que um ano em 2009, certamente. Cansada, porém feliz com tudo o que se cumpriu. Inevitável não:
  • analisar os erros para que se tornem acertos na repetida;

  • lembrar as risadas para eternizá-las;

  • brindar os amigos da neve - conquista boa de 2009;

  • enfrentar filas de carros e pessoas, para ajudar na tradição do Papai Noel.
Uma coisa não foi feita na minha casa no ano 9: Árvore de Natal. Sábado estive no habitat da Gira e vi que “a casa bagunçada por causa da mudança” já tem enfeitinho de Natal pra tudo quanto é lado. E a Duda nem espera nada do bom velhinho...

Marcelo sabe a mãe que tem. Eu é que me conheço menos. Quando estava grávida, já com um barrigão de 9 meses, queria que aquele Natal fosse bem criança e para isso precisava de uma árvore digna. Arrastei a pança até o centro da cidade e enfrentei a fila (preferencial, of course!) para pagar uma linda Árvore, imensa, cheia de galhos e muitas bolas para se pendurar. Não conseguiria relatar o quanto essa peça me irrita. Até arrepio quando entra o mês de dezembro e com ele começam as cobranças: “Já montou sua árvore?”, “Não...”, “Quê isso! Você tem criança em casa, tem que ter árvore de natal e Papai Noel!!”. E lá vou eu montar a danada que me dá um trabalho “Herculano”. Aquilo nunca cabe em casa, os enfeites se quebram de um natal para outro, os galhos soltam folhinhas e me fazem espirrar... A-do-ro! E nesse ano, depois de muitas sessões de terapia, simplesmente deixei que o Marcelo curtisse o Natal na casa da avó, nas vitrines das lojas, nas canções aprendidas na escola... E deixei a minha árvore de Natal gigante guardadinha. Claro que podia ter pendurado ao menos uma guirlanda na porta ou uma meia na lareira, mas não tenho lareira em casa, sorry!

E a casa da Gira está enfeitadinha, linda e preparada para recepções do tipo, todos os tipos!

Esse ano não teve o encontro sindical. Fora do ano eleitoral não nos comportamos bem...

Não gosto de árvore, mas respeito à tradição. E por isso, em todo fim de ano, olho para trás (dessa vez com menos medo) e agradeço as coisas boas, choro de novo pelas ruins, tenho saudade dos amigos, das viagens e das crises de riso, leio os posts e os comentários, me emociono com os trejeitos e o crescimento da criança, constato que o tempo de fato passa... E fundamentalmente, peço para que Ele continue ao meu lado, pois só essa força é capaz de explicar a minha sorte. Tá certo, meus olhos são azuis, mas Muito Obrigada Meu Deus, por tudo!

Ano que vem entro com o pé direito porque quero pra mim um ano 2009+1. Assim, só pode ser melhor!

Brinde com sotaque ao Cláudio e Carla, Mauro Maurício, Dani e Hérika, Mariana e Rodrigo de Paula. Esse último por ter cada vez mais certeza de que o Mangabeiras é uma extensão da Linha Verde!


Clicheando e abusando do trocadilho, desejo a todos um Natal incrível e um Ano Novo nota 10!


Beijos e Afagos.

3 comentários:

Laura Friche de Oliveira disse...

Ê Dri

Coisa boa de ler, esse post!

Feliz Tudo Novo pra vocês todos!

Um beijão da gente aqui que também anda um pouquinho igual :)

Hudson disse...

Olá amigona...

Ano novo...velhos amigos...Precisa mais?

Bjs

Kizzy disse...

É, Dri...
O ano foi corrido mas foi mesmo muito bom!
E com árvore ou não, Natal é sempre um momento especial. É renascimento.
Desejo um 2010 tudo de bom a todos...
Bjo.